Fiz a inspeção veicular do meu carro recentemente e, assim como muitos, o meu carro foi reprovado. Não passou no teste realizado obrigatoriamente pela Controlar, empresa que presta serviços e  conquistou a licitação para realizar este serviço.

Pois bem, digo que não gostei do resultado, por motivos óbvios, e também digo que acredito que essa inspeção deveria ser realizada depois que uma série de outras medidas voltadas ao meio ambiente fossem aplicadas na cidade. Por isso, creio que essa seja mais uma forma simples de gerar receita para os cofres públicos, e não uma efetiva boa vontade ecológica com o planeta e a cidade.

Você pode estar dizendo agora: ele pensa assim porque não passou. E eu te respondo que não é por este motivo que penso assim. Afinal, faço parte do grupo de pessoas que querem um mundo melhor, e defendem o meio ambiente e as ações sustentáveis na cidade. Vejo que elas são necessárias para a continuidade do planeta, e para a saúde de todos que aqui vivem. Agora, eu fico me perguntando: e os outros problemas?

 Pois eu gostaria de saber se todo esse dinheiro arrecadado com a taxa da inspeção será investido na construção de novas linhas de Metrô, verdadeira saída para o caos paulistano. E também quando é que o estado vai ter coragem e força de vontade para resolver os sérios problemas que temos hoje nas regiões de mananciais, pois os nossos principais rios estão mortos. Se o estado tem coragem de construir mais parques, aumentando o número de áreas verdes na cidade, e não deixando os parques como um beneficio para poucos afortunados paulistanos. E os carros que passam por aqui e que não são de São Paulo não poluem? E as empresas de ônibus estão dentro da norma? E por último, se o estado vai ter coragem de tirar o aeroporto de Congonhas de dentro da região metropolitana, pois eu moro ao lado do aeroporto, e respiro o péssimo ar que é gerado todos os dias pelas turbinas lucrativas dos jatos. Sem contar o perigo e o barulho que eles produzem.

Medidas paliativas da prefeitura de São Paulo podem até entusiasmar algumas pessoas, ou aumentar a receita de cofres. Mas só que elas nunca vão resolver verdadeiramente um problema. O que resta a nós, seres detentores de um pulmão de ouro, é comemorar o ótimo momento que a indústria automobilística vive. A mesma indústria que despeja milhares de carros nas ruas de São Paulo todos os dias. E será que a prefeitura sabe disso?         

Melhorar o ar sim, ações paliativa não!

Sergio Borges

Anúncios