O telefone tocou mais uma vez, mas só que desta vez, quem estava ligando era eu mesmo. E não estava ligando para minha namorada,  para um familiar ou até mesmo para um amigo. Eu estava ligando para uma central de atendimento, ou se você preferir, para o serviço de telemarketing de uma empresa. E o que eu queria? Queria apenas marcar um exame!

O meu teste de paciência, e a minha prova de saúde física e mental começaram antes mesmo do exame propriamente dito. Começaram no show de transferências ao qual eu fui submetido no 0800 da empresa, e também, por causa das três ligações que caíram repentinamente, do nada. Deixando-me falando com os palavrões.

Achei impressionante como cada uma das pessoas que me atenderam neste serviço me disseram coisas diferentes sobre um mesmo assunto. Um me disse que eu não poderia fazer o exame, pois eu não tinha o código de liberação do mesmo. Já o outro me deu uma liberação para que eu pudesse fazer o exame em uma clínica que nem trabalha com o meu plano. Estranho isto. E o terceiro. Ahhh… este me pediu para ler um detalhe na guia que a médica me passou que, sinceramente, eu não consegui, e duvido muito que alguém, a não ser a própria médica, consiga ler aquele segredo de estado chamado guia de exame. Acredito que deveria ser incluída a Caligrafia na grade curricular das Faculdades de Medicina do país. Fica a sugestão!

Quero deixar claro, aqui, que eu não tenho nada contra os operadores de telemarketing, até porque eu já trabalhei com telemarketing durante alguns anos da minha vida, e sei como este trabalho é estressante. Mas a minha crítica vai para os que comandam estas operações. Senhores sem uma cara definida que se camuflam atrás deste tipo de serviço, e ficam lá apenas ditando normas robotizadas para os operadores. E também é contra a falta de regulação que ainda há neste setor. As empresas fazem o que bem querem. Em um eterno (espero que não seja) jogo de esconde-esconde.

Pois bem! Mesmo depois de abrir três reclamações no setor devido. Acreditem. Eu só consegui marcar o meu exame dois dias após esta minha peregrinação via telefone. Somente após uma atendente muito educada por sinal – e isto depois de eu já ter passado por sabe-se lá quantos atendentes – descobrir que o meu exame poderia sim ser feito na própria rede da empresa. Que não seria necessário marcar o meu exame em uma rede credenciada. Detalhe: ela também descobriu que o exame, um teste ergométrico com espirometria não constava no sistema da empresa desta forma (e este foi o motivo de toda a confusão no atendimento). Lá, no sistema deles, constava como teste ergométrico ou como teste de espirometria. Os dois ao mesmo tempo não. Complicado, não acha?

E foi isto. Só fui conseguir uma liberação para o tal do exame depois de ter sido transferido de um ramal para o outro. De atendente para atendente. Como se eu fosse uma bola nos pés de uma criança. Tendo que ficar horas ouvindo aquelas músicas chatas que eles colocam para ´´acalmar os clientes“.

Aleluia! Aleluia! Poderei finalmente fazer o exame no mês de Maio. E, até lá… dá-lhe mais espera.

Obs.: O nome da empresa é: Medial Saúde.

Anúncios